Além de passagens e hospedagem, os gastos com transporte também impactam sobre o bolso de quem está viajando a negócios. Afinal de contas, será que compensa mais ir de táxi ou Uber?

Dependendo do trajeto que você precisa percorrer diariamente, pode surgir uma terceira opção mais econômica que as já citadas: o aluguel de um carro. Abaixo, falaremos sobre cada serviço, para ajudá-lo a tomar a melhor decisão.

Uber

Os famosos carros pretos caíram nas graças dos usuários. Basicamente, são dois os fatores que ajudam a explicar a popularização do Uber: a comodidade — a corrida é solicitada por meio de um aplicativo para celular — e as tarifas mais baratas.

Um trajeto de aproximadamente 30 km, entre o Aeroporto Internacional de São Paulo e o Estádio do Pacaembu, por exemplo, custa a partir de R$ 48 no Uber, ao passo que o valor da corrida é de, pelo menos, R$ 73 em um serviço de táxi convencional.

Contudo, é importante lembrar que o serviço ainda não é regulamentado em todo o território nacional. O Uber só funciona atualmente em algumas capitais — como Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Goiânia — e cidades maiores.

Táxi

Apesar do aumento da concorrência, os táxis ainda são a opção mais utilizada pelos viajantes. Ainda é bastante fácil encontrá-los nas ruas, mas o serviço tem nos preços praticados uma grande desvantagem.

Em corridas intermunicipais, por exemplo, é facultativo ao motorista ou cooperativa cobrar uma taxa de retorno. Mesmo percursos dentro da cidade podem não ser financeiramente atrativos: o deslocamento do aeroporto ao hotel, em alguns casos, pode sair mais caro que a própria diária.

Por último, cita-se o fato de que, a menos que faça uso de um GPS ou conheça bem a cidade, o cliente não tem a possibilidade de monitorar se o caminho escolhido pelo condutor é, de fato, o mais curto.

Carros alugados

À primeira vista, o preço de uma diária para aluguel de um carro pode até assustar. Contudo, além de táxi e Uber, essa é uma modalidade extremamente vantajosa para aqueles que precisam se deslocar com — muita — frequência.

É claro que tudo depende também do modelo escolhido, mas via de regra, os custos vão se diluindo a cada trajeto. Cita-se ainda a possibilidade de um controle mais eficaz: apesar de toda a praticidade, o uso de cartões para pagamentos das tarifas de táxi e Uber pode se transformar em uma armadilha.

Ao final do mês, o valor da fatura pode surpreender de forma negativa, ao passo que com o aluguel de um veículo você paga uma diária fixa e ainda pode usufruir de eventuais promoções oferecidas pelas agências.

Como outros benefícios, é importante mencionar o fato de que o veículo estará sempre a sua disposição — ou da equipe — durante todo o período locado. Ainda que táxi e Uber cheguem ao seu encontro em poucos minutos, essa disponibilidade representa também um ganho de tempo.

Por último, mas igualmente importante, faz-se necessária a ressalva de que a economia com transporte deve ser implementada simultaneamente a outras estratégias para reduzir os custos de uma viagem corporativa.

E você? Já alugou um carro durante uma viagem ou prefere as comodidades oferecidas por táxi e Uber? Descreva sua experiência nos comentários deste post!