Quando estão prestes a fazer uma viagem, as pessoas são contaminadas por muito entusiasmo. Tão importante quanto o planejamento do roteiro, porém, é se cercar de alguns cuidados.

Nesse contexto, uma das principais precauções é a contratação de um seguro saúde viagem. Mas será que a adesão a este serviço realmente vale a pena? É o que vamos esclarecer neste post.

Em que consiste o seguro saúde viagem?

Parte integrante do seguro viagem, o seguro saúde viagem é um serviço que oferece assistência médico-hospitalar ao turista caso ele tenha algum problema enquanto estiver longe de casa.

A cobertura atende desde pequenos incidentes — fraturar um dedo durante uma queda ou na porta do hotel, por exemplo — até situações mais graves, que resultem em invalidez, coma ou até mesmo morte.

Basicamente, sempre que se vê diante de um imprevisto na área médica, o segurado tem duas opções: a primeira delas é ser atendido em um estabelecimento de sua preferência, arcar com os custos e solicitar reembolso posterior, quando regressar da viagem.

A outra possibilidade é ser atendido gratuitamente por um hospital credenciado. Nesse caso, você deve acionar a central de atendimento para obter orientações para onde deve se dirigir.

É um serviço obrigatório?

Embora, por uma questão de prudência, todos os usuários devessem adquirir uma apólice do seguro saúde viagem, muitos questionam se a adesão a esse benefício é realmente obrigatória.

A resposta depende de qual seja o seu destino. Se você pretende passear ou vai a negócios para um dos 25 países europeus que compõem o chamado Espaço Schengen, essa é uma exigência. O comprovante de contratação do serviço pode ser pedido já na imigração.

Em outras nações, como os Estados Unidos, o seguro saúde viagem é opcional. De todo modo, é recomendável que você consulte as diretrizes específicas do destino que pretende visitar, antes do embarque.

Quais os benefícios do seguro viagem?

Para os mais conservadores, a contratação de um seguro viagem pode soar como mais um gasto desnecessário. Na prática, no entanto, a realidade é bem diferente: por mais que nunca se espere fazer uso, é conveniente estar preparado.

Imagine, por exemplo, que você esteja visitando um determinado país pela primeira vez e não tenha tenta familiaridade com o idioma. Imprevistos, com maior ou menor gravidade, não têm hora para acontecer.

Em caso de emergência médica, a quem pediria ajuda? Via de regra, as centrais das operadoras contam com colaboradores que falam a língua nativa dos turistas. Além disso, os atendentes podem ajudar a acalmá-lo em momentos de tensão, até que o socorro chegue.

O usuário será assistido em todas as situações relacionadas à saúde, por exemplo: internação, despesas médicas, farmacêuticas e odontológicas, e cuidados especiais no retorno, em caso de acidentes, ou translado do corpo, em caso de falecimento.

Além disso, o viajante se precavê contra vários incidentes de outras naturezas, como extravio de documentos, danos à bagagem ou perda do cartão de crédito. Também estão previstas indenizações em caso de demora na localização das malas, cancelamento ou interrupção da viagem.

Como exemplo, citamos alguns valores dos prêmios:

  • Regresso antecipado: USD 1.000
  • Regresso Sanitário: USD 25.000
  • Traslado Médico: USD 25.000
  • Traslado de corpo: USD 25.000
  • Assistência Jurídica: USD 1.000
  • Cancelamento de viagem: R$ 1.500
  • Interrupção de viagem: R$ 1.500
  • Morte acidental em viagem: R$ 150.000
  • Invalidez permanente total por acidente em viagem: R$ 150.000
  • Hospedagem após alta hospitalar: 5 dias USD 100
  • Hospedagem de Acompanhante: 5 dias USD 100
  • Reembolso por Gastos de Emissão de Passaporte Provisório: USD 300
  • Adiantamento de Fiança: USD 10.000
  • Adiantamento de Fundos no Exterior: USD 1.000
  • Localização de bagagem: sem limite
  • Auxílio em caso de Perda de Documento ou Cartão de Crédito: sem limite
  • Visita ao Cliente Hospitalizado: USD 1.000
  • Acompanhamento de Menor/Idoso: USD 1.000

Uma vez que você tenha decidido se precaver, concentre suas atenções nos demais preparativos para a viagem, como, por exemplo, a emissão do passaporte.

E você? Tem o costume de contratar o seguro saúde viagem? Já precisou fazer uso desse serviço? Deixe as suas recomendações a outros viajantes nos comentários.