Desde os tempos da escola, ouvimos que o rio Amazonas é o maior do mundo – o Nilo é mais extenso, embora se questione até isso, mas com certeza nosso rio ganha em volume de água – ele descarrega no Oceano Atlântico 20% de toda a água doce da Terra. Mas presenciar o encontro do rio Solimões, como o Amazonas é chamado neste trecho de seu percurso, com o rio Negro, próximo a Manaus, é ter a dimensão exata do que “o maior do mundo” significa. A partir dali, ele volta a chamar-se Amazonas, como nós o conhecemos.

O tour é feito de barco e leva o visitante ao Encontro das Águas, confluência entre os dois rios, onde a paisagem única revela as águas escuras do Negro tingidas pelas águas barrentas do Solimões. Se conseguir fazer o passeio em um dia ensolarado, melhor ainda, pois você pode fazer belas fotos e percebe melhor o contraste das cores. Além da tonalidade, a temperatura dos dois rios também é distinta, e a diferença é literalmente sentida com as mãos durante o passeio. Com alguma sorte, você consegue observar até alguns botos pelo caminho.

Parque Ecológico Janauary

A maioria dos passeios passa pelo Encontro das Águas e segue viagem com diferentes destinos. É possível, por exemplo, conhecer outras belezas do rio, o Parque Ecológico Janauary; os igarapés repletos de enormes vitórias-régias, que chegam a medir 1,8 m de diâmetro; ou passar pelo Arquipélago de Anavilhanas, um dos maiores arquipélagos fluviais no mundo, com cerca de 400 ilhas. Também é possível fazer um passeio com almoço, ou então uma visita separada ao arquipélago. Vai do gosto do freguês. Em todos os casos, o melhor é reservar um dia inteiro para esta visita. Confira com seu agente de viagens as diferentes opções de tour fluvial.

Outros passeios:

Outra opção para quem quer conhecer a região são os cruzeiros pela Amazônia. Os navios não têm as mesmas dimensões dos transatlânticos que partem do Porto de Santos. Mas não deixam de oferecer mordomias cinco estrelas. Estes cruzeiros, que percorrem o rio Solimões, o rio Negro ou ambos, costumam passar pelo Encontro das Águas. E também incluem atividades como caminhada na região de Manacapuru, passeios por igarapés, pesca de piranha, visita a seringais, visita à comunidade indígena do rio Cuieiras, excursão de lancha entre as ilhas da região de Três Bocas e passeio noturno para observação de jacarés.