Ter controle de entrada e saída de dinheiro é primordial para a saúde financeira de qualquer negócio.

Saber administrar essas operações pode ser um pouco confuso no início. No entanto, com tempo, dedicação e disciplina, essa tarefa ficará mais fácil do que você imagina.

Diante disso, existe uma ferramenta muito importante, o fluxo de caixa, que auxiliará você nas transações — ou seja, será um importante suporte na sua gestão financeira.

Para auxiliar você nessa missão de controlar suas finanças, hoje vamos dar um passo a passo de como fazer seu controle de caixa. Continue lendo!

O que é fluxo de caixa?

Essa ferramenta ajuda o empreendedor a enxergar melhor toda movimentação financeira que ocorre na sua empresa.

Ela funciona da seguinte forma: em uma planilha é anotado todo o dinheiro que entra e todo o dinheiro que sai. Contudo, sabemos que no dia a dia de uma organização, isso não ocorre apenas em um dia do mês. Por isso, esse controle pode ser diário, semanal, mensal, trimestral ou até semestral.

Portanto, o fluxo de caixa é um registro de todas as movimentações financeiras da empresa, dando suporte para estimativas futuras quanto aos recebimentos e, também, caso haja necessidade, para o corte de despesas.

Como montar um fluxo de caixa?

Mesmo sendo um relatório muito importante em qualquer tipo de empresa, seu controle de caixa deve estar alinhado com a sua realidade.

Portanto veja a seguir como montar seu fluxo de caixa:

Escolha o período para controlar

Você é quem vai determinar o período que o fluxo de caixa vai ser alimentado. Uma dica muito importante é analisar diariamente esse relatório, pois, assim, ele lhe dará informações mais exatas.

Que tal estipularmos um controle de 12 meses para seu fluxo de caixa? Vamos supor que você pretende destinar um orçamento maior para as viagens corporativas da empresa a partir do mês de agosto. Mas, analisando seu fluxo de caixa, você percebeu que em julho suas vendas não foram tão boas quanto se era esperado.

Com essa informação, você pode tomar a decisão de adiar o aumento do orçamento e pensar uma nova estratégia para alavancar a entrada de dinheiro.

Verifique quanto você tem em cada conta

Controle de caixa não se restringe apenas no caixa físico, mas sim em todas as contas bancárias e cofres, ou seja, todo o dinheiro que a empresa realmente possui.

Esse será o saldo inicial do seu fluxo de caixa.

Separe exatamente quais serão suas receitas e despesas

Nesta etapa é muito importante que suas projeções sejam bem realistas. Anote todos os valores que você tem a receber e todos os valores a pagar.

Se você recebe valores parcelados, é importante que você lance esses valores conforme os vencimentos.

Suponhamos que você tenha a receber R$2.000,00 em quatro vezes, contando a partir do mês de fevereiro. No seu fluxo de caixa, terá que lançar esses valores mensalmente, ou seja, em fevereiro R$500,00 e assim sucessivamente. O mesmo acontece com as despesas.

Classifique suas receitas e despesas

Não adianta apenas saber o quanto se gasta ou o quanto se recebe.

O gestor deve saber exatamente de onde estão vindo suas receitas e onde está sendo gasto seu dinheiro — por isso a importância da classificação das contas no fluxo de caixa.

Assim, fica mais fácil tomar decisões assertivas, pois você saberá exatamente onde deve alterar sua estratégia.

Cuide para não deixar nada de fora — informe desde o cafezinho até a fatura do cartão de crédito. Quanto mais informações seu fluxo tiver, mais exatas serão suas projeções.

O fluxo de caixa é realmente importante?

Não apenas para as empresas, mas também para a vida pessoal, saber organizar sua vida financeiramente é primordial para o alcance de seus objetivos.

Com um bom controle, alimentando e atualizando diariamente, você não será surpreendido com alguma emergência, pois terá reservas para se manter em dia com suas obrigações.

Quanto mais organizado for seu fluxo, mais resultado em longo prazo você terá.

Agora que você já sabe como fazer o controle de entrada e saída de dinheiro, conta para a gente: como você controla suas finanças? Deixe seu comentário no post!