Uma mala de viagem está longe de ser somente um acessório. Ela é muito mais importante do que as pessoas imaginam. Por isso, na hora de comprar um modelo, você deve levar em consideração os detalhes que facilitam e organizam os seus deslocamentos.

O tamanho, o formato, as cores, o material e o sistema de travamento são alguns dos diferenciais de cada tipo de bagagem. Se você é um viajante frequente ou adora praticidade e conforto, fique atento para as 5 dicas para escolher a mala de viagem ideal para cada situação.

1. Escolha o tipo de mala

Os tipos de malas mais comuns são: de alça, quadrada com duas rodinhas e quadrada com rodinhas 360 graus. O primeiro tipo é mais antigo e pouco funcional; o segundo é mais pesado, apesar de ser mais prático que o primeiro; e o terceiro é a melhor de todas as opções e também a mais cara delas.

Porém, não deixe que o preço seja um fator determinante. Tenha em mente que a mala é parte fundamental do seu bem-estar e segurança. Por isso, faça um esforço e adquira uma opção que facilite sua viagem e tenha, pelo menos, quatro rodinhas que funcionem 360 graus. Dessa forma, você não terá que puxar a mala, mas empurrá-la e movimentá-la para qualquer direção.

2. Selecione o tamanho

Desde que as companhias aéreas brasileiras passaram a cobrar pelas malas despachadas em voos domésticos, vale a pena dedicar um tempo para escolher o tamanho da sua bagagem.

Agora somente malas com até 10 kg, cujas medidas sejam 55 cm de altura x 35 cm de largura x 25 cm de espessura, podem ser consideradas bagagens de mão. Portanto, se você faz muitas viagens curtas, o ideal é investir em uma mala pequena para não pagar pelo despacho.

No entanto, se a sua viagem for de férias ou a passeio, prefira uma mala de tamanho médio. Com foco e organização, você consegue distribuir peças para até 10 dias no seu interior, que geralmente tem 70 cm x 50 cm x 35 cm (altura, largura e espessura). Para destinos que exigem roupas mais pesadas ou para mais dias na estrada, compre uma mala grande. Geralmente, elas têm 90 cm x 65 cm x 37 cm.

Em casos de voos nacionais, tanto a mala média como a grande serão despachadas e pagas. Já a franquia para voos internacionais é maior. Para ambos os casos, consulte as regras da sua cia aérea.

3. Conheça o material

Existem as malas flexíveis, as rígidas e as expansíveis. As flexíveis costumam ser de tecido bem grosso. A vantagem é que são leves e a desvantagem é que sujam muito.

As rígidas são as preferidas, pois funcionam como uma proteção extra ao conteúdo. As roupas não amassam tanto e os objetos frágeis sofrem menos abalos. Geralmente, elas são de polipropileno (mais baratas) ou de carbono (super-resistentes e caras).

Já as malas expansíveis contam com um zíper que aumenta o seu tamanho e é uma ótima ferramenta, principalmente quando as bagagens voltam mais cheias.

4. Analise o fechamento

Lançadas recentemente, existem as moderníssimas malas que não têm zíper. Elas fecham por pressão e, segundo os fabricantes, têm vida útil longa.

Realmente, as malas com zíper costumam quebrar bastante, mas ainda são mais acessíveis, sem perder tanto na qualidade. O que você deve priorizar é o sistema de segurança oferecido. As mais seguras são as que têm cadeados embutidos. Mas existem ainda aquelas que vêm com cadeados com senhas, e as mais tradicionais, com chaves.

5. Considere um detalhe decisivo

Alguns detalhes podem ser decisivos para a escolha de um modelo de mala. A aparência é uma delas. Opte por uma cor que tenha mais a ver com sua personalidade e, se for para uso de toda a família, cuidado com as estampas, pois elas precisam combinar com todos os membros. Apesar de práticas e discretas, as malas pretas são alvos de furtos em aeroportos e, se essa for a sua escolha, identifique sua bagagem com fita, chaveiro ou adesivo colorido.

Conte para gente: como é a sua mala de viagem? Moderna ou já está na idade de se aposentar? Deixe nos comentários!